All for Joomla The Word of Web Design
FacebookTwitterLinkedInRSS FeedPinterest Pin It

A Importância da Preservação e Memória do Transporte Coletivo em São Paulo

Ambiental Transportes é a segunda empresa do sistema da SPTrans a preservar um veículo histórico em sua frota.

SPTrans
Ferramenta
Tipografia
  • Menor Pequeno Medio Grande Maior
  • Padrao Helvetica Segoe Georgia Times

São Paulo possui um sistema de transporte público sobre pneus com números de deixar qualquer pessoa surpresa.
São aproximadamente 1.300 linhas com algo em torno de 14.000 veículos aptos a transportarem passageiros pela cidade. O sistema que está em processo de licitação, é a maior do mundo.

Por Rodrigo Lopes

 

 

O-364 da extinta CMTC, vez parte da infância e do dia-a-dia de milhares paulistanos nos anos 80 e 90

Quem não se lembra “daquele ônibus” de quando pegava com os familiares quando ainda era criança, ou mais jovem... Ou daquele veículo que te levou para a primeira festa, primeiro encontro ou primeira entrevista de emprego. O ônibus que passava na porta de casa fazendo aquele barulho, o caminho que você fazia para a escola... Inúmeros cenários que podem refletir diretamente e mover suas mais doces lembranças de tempos passados e de boas recordações.

ambiental 04

Preservado pela SPTrans, o ACF Brill da CMTC, pertenceu a primeira frota de trólebus da cidade

O sistema de Trólebus em São Paulo, que completa 70 anos em Abril/2019, surgiu em clara substituição aos bondes elétricos. Impulsionados pela extinta CMTC (Companhia Municipal de Transportes Coletivos), os primeiros veículos, ainda importados, chegaram no ano de 1949, para fazerem a linha entre a Praça João Mendes e o bairro da Aclimação, região central da cidade.

 Em alguns anos, a frota se multiplicou graças ao incentivo do governo federal frente ao transporte coletivo e manteve-se até 2004 quando foi parcialmente desativado.
Por mais que o sistema esteja com veículos novos e a extensão da rede estagnada, a manutenção do sistema é plenamente importante para São Paulo, tendo em vista que os veículos trólebus não emitem nenhum tipo de poluição. Por serem veículos totalmente elétricos, não são responsáveis por lançar CO² e nem materiais particulados na atmosfera, implicando diretamente na qualidade de vida da população, por conta da redução da poluição.

Nos anos 90 a Eletrobus fez a reforma de todos os trólebus ao assumiu a operação da garagem do Tatuapé da CMTC

Dada essa importância ambiental, operacional e histórica do sistema trólebus, o Portal do Ônibus em parceria com o Movimento Respira São Paulo sugeriu à Ambiental Transportes, operadora do sistema trólebus em São Paulo e concessionário da área 4, a sugestão de restauro do primeiro veículo. Cases de sucesso do passado foram significativos para as tratativas, tendo em vista que o trólebus Brill, figurinha carimbada de exposições e mostras de transporte na cidade foi reformado à época pela prefeitura, em um regime semelhante ao proposto atualmente.

Antigo 68 7577 na época em operação no sistema interligado pela empresa Himalaia Transportes

O veículo escolhido para a reforma é um trólebus de carroceria Torino da quinta geração de produtos da Marcopolo, encarroçado sobre o chassi Scania BR-116, com equipamentos eletroeletrônicos da Tectronic e que foram reformados na década de 90, foi a cara do sistema trólebus na cidade de São Paulo até meados de 2012, quando começaram a ser substituídos pelos novos veículos, os CAIO Induscar Millenium III com chassi Mercedes-Benz O-500 U Eletra/ Weg.

ambiental 05

Adquirido no leilão pela Ambiental em 2010 foi transformando em veículo de treinamento, possui metade das bancadas e a outra metade com equipamento do sistema do trólebus

De numeração 700, dedicado ao treinamento de novos condutores de ônibus elétricos na cidade, é uma sala de aula sobre rodas. Além de preservar algumas características originais do veículo, parte dele foi dedicada à montagem de um painel, onde são apresentados todos os componentes que compõem a rede aérea e também, algumas partes dos veículos.

ambiental 07

Ínicio da reforma do trólebus

A sugestão da equipe foi que, o veículo pudesse ser caracterizado com a antiga identidade visual do sistema Municipalizado “Branco com a faixa vermelha”, que figurou nas ruas de 1992 a 2003, quando foi totalmente substituído pelo atual padrão de identidade visual, denominado interligado.

ambiental 06

A cada fase da reforma, cria uma expectativa ao apaixonados por ônibus

A medida, abraçada pela Ambiental Transportes e que foi a primeira empresa a iniciar a restauração de um veículo, teve como pedra fundamental uma reunião com o gerente de manutenção o Sr. Antônio Soares, responsável pelos veículos na Garagem Tatuapé, quando a empresa foi convidada para participar novamente da BusBrasil Fest, a ocorrer na praça Charles Miller, em frente ao Pacaembu dia 25/11/2018, enquanto comentado que o veículo, poderia ser incluso no portfólio de exposições  do festival.

ambiental 02

Com apenas duas semanas de reforma, o trólebus já foi caracterizado com padrão de identidade visual do sistema Municipalizado

Endossado com o apoio do Movimento Respira São Paulo, o Portal do Ônibus acredita que a semente foi plantada para a criação da cultura da preservação do transporte público sobre pneus em São Paulo.
No Estado, existem somente acervos particulares desses veículos, excetuando o Museu do Transporte Gaetano Ferolla, localizado na zona norte de São Paulo e administrado pela SPTrans, outra parceira da BusBrasil Fest.

ambiental 03

Você poderá conferir a restauração completa na 12ª BusBrasil Fest

Para a exposição, o veículo assumirá sua antiga identificação, com o número 68 7577, dos tempos em que era operado pela extinta e saudosa Eletrobus. Ao final, será retomada  sua identificação original.