FacebookTwitterLinkedInRSS FeedPinterest Pin It

Má Conduta de Motorista e Vídeo Viral

TUPI responde com exclusividade ao Portal do Ônibus

Empresas
Ferramenta
Tipografia
  • Menor Pequeno Medio Grande Maior
  • Padrao Helvetica Segoe Georgia Times

Nesta quarta-feira, dia 03, um vídeo estarrecedor de discussão entre um motorista de ônibus e uma passageira ganhou as redes sociais e virou assunto dos portais de notícias. O vídeo, curto, mostra a passageira tentando relatar um suposto desrespeito do operador com uma senhora, enquanto o mesmo recusa-se a dizer seu nome e dirige de forma agressiva e totalmente fora das rígidas normas técnicas de operação e tratamento ao usuário definidas pela SPTrans, gestora do transporte municipal de São Paulo.

O veículo em questão é o 6 2209, propriedade da TUPI – Transportes Urbanos Piratininga LTDA., uma das mais tradicionais empresas da capital paulista e participante do Consórcio Unisul, licitado na área 6 – Sul do sistema estrutural de transporte. O vídeo mostra a numeração do veículo e dá certa noção de onde o veículo se encontra (entre a Avenida Paulista e Rua da Consolação). Segundo relato dos envolvidos, o motorista atendeu sinalização de parada de uma idosa com dificuldades de locomoção. Imediatamente após a idosa em questão embarcar no veículo, o operador teria fechado a porta e arrancado com o carro de forma brusca, fazendo com que a senhora batesse as costas no balaústre de proteção frontal do carro e quase caísse. A senhora teria reclamado do comportamento do motorista, que teria respondido de forma ríspida. Uma segunda passageira teria entrado na discussão em defesa da idosa, e também foi tratada de forma inadequada pelo operador.

A segunda passageira é Alessandra Siqueira, e utilizava a linha 875A-10 sentido Aeroporto. Ela resolveu intervir na discussão e gravar o vídeo ao perceber a total falta de respeito e a conduta inaceitável do motorista. A passageira inseriu o vídeo em sua página no Facebook, seguido do texto que reproduziremos de forma resumida. O resumo faz-se necessário devido às questões de viés político, mas o link da publicação original será disponibilizado na matéria.

Link do video:
https://www.facebook.com/alessandra.siqueira.399/videos/2404893669552972/

“Pela primeira vez tive a real clareza e medo do que pode vir. (Textão)

Hoje, 3 outubro de 2018 ,11:40 hrs linha 875A aeroporto carro número 62209 entre rua da Consolação e Av Paulista, uma senhora com dificuldade de visão e bengala, ao embarcar no ônibus o motorista fecha a porta antes mesmo dela terminar de entrar ,batendo com tudo nas costas dela e arrancando com o carro fazendo com q ela quase caia. Nisso a senhora se recuperou e reclamou:

- Você tem que esperar eu entrar pra fechar a porta , machucou minhas costas e quase caí.

- Quer conforto ,vai de táxi! Disse o motorista

- Eu sou tão pobre quanto vc, sou aposentada e é meu direito ir de ônibus.

- Tá velha fica em casa, ou vc acha que metrô vai esperar a senhora sentar pra andar? 

Nesse momento eu não me aguentei e fui dizer que eu vi e que sim ,ele havia machucado ela e que não devia falar dessa forma , tinha sim que esperar ela sentar para acelerar, nisso a senhora começou a me aplaudir e falar bem alto

" É isso aí o respeito está com as mulheres, só elas pra defender umas às outras!!" O ônibus em silêncio e ninguém se pronunciou. (...)

(...)Eu levantei e tentei gravar um trecho, ele começou a balançar o ônibus p eu cair, como da pra ver no vídeo, mas eu tremia tanto de nervoso que só consegui esse pedaço, mas já dá pra ter uma ideia desse verme.

A senhora se levantou e disse que não iria mais ficar naquele lugar, que merecia respeito e fez um discurso que não aguentei e comecei a chorar.

“Meu nome é Carmen tenho 79 anos luto e protesto contra esse tipo de pessoa a vida toda desde minha adolescência, vivi e lutei contra a ditadura, apanhei... apanhei muito mas continuo lutando até o último dia da minha vida, não luto por um partido vermelho ou azul, verde ou amarelo, luto por uma bandeira de arco íris com todas as cores que acima de tudo respeite uns aos outros, sem tolerância ou respeito. Faço jus ao meu nome que contém poesia que mamãe e papai me deu, sou Carmen, mulher, jornalista e vou sempre lutar contra esses aqui”

E desceu.

Comecei a chorar e passei a catraca, dei sinal ,aí algumas mulheres começaram a me perguntar o que aconteceu, mas sabiam pois ouviram em tamanho som ,mas é claro não se manifestaram e só ali prestes a eu descer que concordaram comigo, e eu disse, tomem coragem de falar assim como essa senhora, pois a submissão vai nos levar a morte.

Desci desconcertada bem antes do meu ponto, e ainda tive que ouvir do verme que abriu a porta do ônibus comigo na calçada e gritou:

“ Mal comida!! Vai morrer solteira!!” 

Esse é só uma parte das coisas horríveis que ele disse e o discurso da Carmem foi bem melhor e lindo do que eu reescrevi. 

Queria ter descido com ela dado um abraço e agradecer por ela existir. 

Medo ,muito medo do que possa acontecer, isso é o reflexo de uma população sem maturidade alguma para lidar com um líder que prega esse discurso de ódio. Pense você se é isso, mesmo que vc quer para o seu futuro, o problema não é o candidato e sim toda uma população insana que com o apoio de um homem como esse vai destruir sua vida. 

Já denunciei o motorista e vou acompanhar a denúncia de perto pois eu não deixarei que esse homem continue transportando vidas. 

 

A conduta do operador foi denunciada à SPTrans, e a TUPI foi imediatamente notificada. A empresa emitiu nota oficial e exclusiva ao Portal do Ônibus, que não conseguiu acesso à maiores informações sobre o motorista.

 

“É lamentável sim ainda termos pessoas no mundo que não seguem normas e não se preocupam com o próximo. Este funcionário faz parte de uma empresa que se preocupa em prestar um serviço a população com qualidade, pra isso orienta seus colaboradores e faz treinamentos periódicos, reforçando sempre a importância de tratar os nossos clientes com educação e muito respeito, e principalmente aos idosos e clientes que precisam de atenção especial. A Tupi criou a linha ROSA, linha essa que também foi considerada a linha da inclusão,  reforçando o direito das mulheres, valorizando o papel da profissional, mãe, que sustenta e luta por sua família.

Sem dúvidas precisamos de mais respeito, educação e sentimento humanitário. Esta na hora de criarmos regras no órgão gestor para inibir a propagação de funcionários com essa conduta, o que não reflete o trabalho da maioria, e também renovar a atribuição do cobrador, transformando num agente de bordo para auxiliar os clientes com maiores dificuldades.

É lamentável que as pessoas entendam que a empresa tem a responsabilidade de educar e formar o caráter do funcionário, que muitas vezes o judiciário ainda penaliza a empresa a pagar indenização pelo comportamento único e de responsabilidade dela, comportamento esse que não foi adquirido dentro da empresa.”

Ernandes do Santos / TUPI - Transportes Urbanos Piratininga

 

O transporte público no Brasil é deficitário em sua maioria, mas é especialmente traumático para as mulheres. Denuncias de assédio, estupro, comportamento agressivo e assaltos são constantes contra as passageiras. Sabemos da importância e da urgência de políticas públicas que inibam esse comportamento e também de uma mudança social e comportamental que torne o transporte e o mundo num modo geral um lugar mais agradável e respeitoso com as mulheres. Quando esse comportamento é reforçado por um profissional que tem como ganha-pão transportar pessoas, entre elas mulheres e idosos, isso torna-se revoltante.

O Portal do Ônibus defende e divulga com afinco e carinho a classe dos trabalhadores no transporte. Temos noção prática de como a profissão de motorista é importante, estressante e desvalorizada. Mas repudiamos totalmente esse tipo de conduta de certos operadores, que não refletem a totalidade dessa classe trabalhadora que move o país.

Defendemos também as empresas, em especial a TUPI Transportes, que investe pesado em treinamento e capacitação regulares de seus colaboradores, mas não pode controlar a educação de berço, índole e caráter de alguns que tomam atitudes tão agressivas como a desse homem. As atitudes machistas e agressivas desse senhor são mais que um acontecimento isolado: é um comportamento inaceitável que confiamos que a empresa puna de maneira exemplar. Infelizmente, mesmo com todos os treinamentos e diversas políticas voltadas ao tratamento do usuário, a empresa não pode prever nem deve responder por um comportamento desse. Pode trabalhar para prevenir algum possível acontecimento parecido, para que algo assim não se repita.

Reiteramos nossa repudia, como canal especializado de transporte, ao comportamento do operador em questão que não quis se identificar. Colocamo-nos à disposição também para ouvir as vítimas (Carmen e Alessandra) e a empresa responsável pelo veículo e contratante do funcionário.

Esperamos também políticas públicas e sociais que possam extinguir esse comportamento em todos os níveis da sociedade e das relações sociais.

Agradecemos à TUPI Transportes, que cordialmente colocou-se à disposição para esses esclarecimentos.

Equipe Portal do Ônibus. Somente o melhor do transporte.