FacebookTwitterLinkedInRSS FeedPinterest Pin It

25 de Julho dia do Motorista

Motorista Reginaldo Vieira da Silva Motorista de Coração

Notícias
Typography
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

É mês de julho e, como de costume, o Portal do Ônibus abre um espaço em sua página para homenagear uma das mais importantes figuras do transporte coletivo: o motorista. Exposto aos mais variados tipos de circunstâncias, ele corta as cidades de extremo a extremo, lidando com todo tipo de conflito (seja ele de nível emocional, mental, climático de infraestrutura das ruas e/ou estradas, de trânsito, etc) e mesmo assim continua ali no seu posto transportando a todos com segurança e responsabilidade para os mais variados tipos de compromissos sociais. Já destacamos aqui (em outras ocasiões) que exercer esta função exige muito mais que treinamento operacional. Requer também um preparo emocional, visto que o motorista lida com os mais variados tipos de situações durante a sua estada ao volante. 

E é justamente por isso, pelo reconhecimento da importância do trabalho destas pessoas que o Portal selecionou algumas (como de .praxe) para falar de sua rotina e de sua trajetória antes e no comando de um ônibus. Conheça agora um pouco da história de vida destes  profissionais e saiba como eles se tornaram motoristas.

 Reginaldo Vieira da Silva

Reginaldo Vieira 01Natural de São José dos Campos, 41 anos ,  tem Ensino Médio completo, casado, tem uma filha. Filho de pai cozinheiro e mãe doméstica, começou sua vida profissional como divulgador de panfletos de comércio em geral, aos 18 anos de idade. Depois foi ajudante de motorista de uma transportadora (Americana) e motorista autônomo na Dias Entregadora. Embora seu interesse pelo ônibus tenha começado quando ele ainda era criança e brincava, fingindo dirigir o veículo nos bancos traseiros dos “bondão”, apelido dado aos ônibus da E.O. São Bento prestadora de serviço de sua cidade na época, na linha Vila Tesouro/Cidade, seu desejo só se realizou em 2004, quando foi contratado pela empresa Vinco (viação Noivacolinense) fazendo a linha suburbana Piracicaba X Rio das Pedras. Importante destacar que, mesmo antes de oficializar a profissão, Reginaldo, por gostar de ônibus, começou a se interessar cada vez mais, a pesquisar e estudar sobre o assunto (1997). Desde então, começou a guardar informações sobre este modal. Atualmente, é dono de um acervo considerável de fotos, de revistas, de recortes, de catálogos sobre o tema. Quando possível, participa de eventos desta temática (exposição e eventos com busólogos), porque tem paixão pelo ônibus. Hoje, motorista, vê concretizado o sonho que sempre almejou e se sente muito realizado quando está no comando do veículo. “Dirigir um ônibus foi algo que busquei por 7 anos. Além do prazer que sinto de dirigir, me sinto muito útil por ter a responsabilidade de transportar pessoas e muito agradecido por esta realização do meu sonho de criança. É muito gratificante”, comentou com entusiasmo. Ao ser indagado de qual a maior dificuldade enfrentada no exercício de sua profissão, ele disse: “cada profissão tem lá suas características e suas vantagens e desvantagens. No meu caso, a principal é a falta de educação no trânsito. Você precisa ficar o tempo todo ligado com a responsabilidade do transporte das pessoas e da condução do ônibus e ainda prestar atenção no como as pessoas de carros de passeios e motos dirigem e também nos pedestres. Você precisa ficar alerta o tempo todo”. 

Atualmente, Vieira, é motorista da Transacreana - nome fantasia Tupi -, filial Piracicaba, segundo ele, uma empresa com ideias inovadoras, com todos os departamentos procurando fazer o melhor para prestar um serviço de atendimento com qualidade cada vez mais alta na região. Reginaldo encerrou a entrevista, deixando a seguinte mensagem para o dia do motorista:

“Os motoristas são o coração da empresa. Por isso, devemos sempre fazer o nosso melhor, com alegria, satisfação, confiança e responsabilidade, afinal, transportamos o maior bem, o que há de mais valoroso no mundo que é a vida. Que Deus nos abençoe e proteja a todos nós ”. Um abraço e um feliz dia dos motoristas”! 

 Luís Carlos Panini

motoristaIrizar 01

 Natural de Campinas, 43 anos ,casado, tem 4 filhos, filho de pai motorista e mãe doméstica. Desde os 5 anos, viajava com o pai. Aos 8/9 anos, seu pai já lhe ensinara a dirigir e aos 12 ele já manobrava ônibus, sozinho, veículos nos quais o pai trabalhava.  Aos 14 anos, iniciou oficialmente sua vida profissional como menor aprendiz, na Mercedes Benz. “Eu trabalhei na linha de produção de monoblocos por 15 anos, onde aprendi muita coisa. Também trabalhei na linha de montagem e na revisão. Ainda nesta empresa, tive outra oportunidade de não só manobrar ônibus, mas também de sair para rua fazendo os testes finais. Bom destacar o seguinte: na época, eu ainda não tinha habilitação, mas depois que a chefia descobriu isso, para minha surpresa (pensei em advertência, por exemplo), ele me deu uma permissão provisória, cheia de recomendações de tráfego para continuar na tarefa, porque eles achavam que eu já dirigia muito bem”. Em 2001, ele aceitou um PDV (plano de demissão voluntária) e saiu da Mercedes. Logo em seguida, arrumou seu primeiro emprego como motorista de ônibus, funcionário de uma pessoa que só possuía um veículo. Nesta empresa ficou apenas 1 ano, mas seu objetivo era adquirir a experiência exigida no mercado. Saindo de lá, foi para uma empresa maior de turismo e começou a viajar. À medida que a experiência chegava, ia trabalhando para empresas de portes maiores do setor.  Panini teve também uma pequena passagem pelo segmento urbano, numa cidade pequena do Paraná. E, quanto mais trabalhava no setor, mais sua paixão pelo ônibus aumentava. Foi trabalhando numa empresa de turismo e fretamento que, após o encerramento do turismo o que causou um certo desconforto em Luís, ele iniciou sua atividade no setor de fretado em outra empresa (2011), fazendo uma linha de Campinas para São Paulo, vindo de manhã e voltando à tarde para Campinas. Neste período, Panini conheceu o sr Maurício Cauffman, donos de 15 linhas de fretamento, numa das quais, Luís já operava.

O tempo foi passando, eles foram se conhecendo mais e mais e, três anos após este fato, Luís teve a oportunidade de comprar um caminhão, veículo do qual ele não tinha nenhuma noção, nem experiência e, por isso, contratou um motorista para dirigi-lo. “Eu não tinha experiência nenhuma com caminhão, não sabia nada e, por isso, contratei um motorista. Eu ficava direto buscando informações e esclarecendo dúvidas com outras pessoas sobre vários aspectos, porque eu não tinha noção nenhuma. Aí, claro, as pessoas são espertas e logo perceberam que eu não sabia nada e então comecei a ter problemas, inclusive com o motorista contratado”. Por falta de conhecimento e dadas as situações, seis meses depois, Luís precisou vender o caminhão. Vale ressaltar o seguinte: ele não havia parado de dirigir ônibus e, conversando com sr Maurício, este disse-lhe que o “caminhão não era sua praia”, mas, se ele comprasse um ônibus, o próprio Cauffman daria a ele uma oportunidade em uma de suas linhas, passando uma para ele trabalhar. Isso tinha ficado meio acertado e 2 anos depois, com o dinheiro da venda do caminhão e a rescisão de contrato da esposa de Luís (15 anos em uma mesma empresa), ela sabendo do sonho dele de comprar um ônibus, deu-lhe o dinheiro para efetivar a compra. Juntando o dinheiro do caminhão e o da esposa, Panini conseguiu comprar em sociedade (50%) um veículo do sr Sérgio Bueno de Lima, proprietário da TransLima, em Campinas. Graças a esta oportunidade, em março de 2018, eles estavam operando a linha e, em setembro do mesmo ano, compraram outra metade de outro ônibus (um double decker). Então, tinham agora, duas metades de 2 ônibus. Foram levando esta situação até a hora em que a sociedade não deu mais certo porque começaram a pensar e ter ideia diferentes e após conversas e acertos, Luís saiu com um ônibus quitado e deixou o outro porque ainda estava com  financiamento aberto. Desfeita a sociedade, e sem documento ainda para operar, Panini agregou seu veículo a outra empresa, a Executiva  & Transportes (do sr João Paulo) que deu-lhe nova oportunidade.

 

G7panini 02 motorista

Em janeiro de 2020, foi fundada a Panini Transportes e Turismo, nome dado em homenagem ao pai pela trajetória como motorista, com 1 veículo (Paradiso G7 1200 MBB O-500RS). Em março do mesmo ano, chegou o 2º carro da empresa (outro Paradiso G7 1200 Scania K310) e pouco mais de um ano, o 3º (Irizar PB Trucado Scania K380). Além destes, há um agregado, Irizar Century, MBB O-500 RS. É evidente que o momento pandêmico atrapalhou os planos de todo mundo, mas Luís disse só ter a agradecer: “a pandemia atrapalhou um pouco nossos planos, mas só tenho a agradecer a Deus, porque nunca imaginei nem ter metade disso, pois, em plena crise, em menos de 1 ano, eu conseguir comprar dois ônibus e continuar se mantendo, é bem difícil, então, sou muito grato a Deus, por tudo o que ele está fazendo. Hoje, atuamos na área de fretamento, com duas linhas: Campinas X São Paulo e uma interestadual, Piracicaba X Belo Horizonte, com uma saída por semana. Pro futuro, pensamos em crescimento, expansão. Estamos fazendo parcerias com agências de turismo para atuar neste setor. Esta é a história de um menino apaixonado por ônibus, que cresceu vendo seu pai ser motorista e que sempre sonhou em ver o nome da família impresso na lateral de um ônibus – o sonho de ter uma empresa própria”, comentou. 

Luís finalizou a entrevista deixando a seguinte mensagem:

“Parabéns a todos  aqueles motoristas  que estão arriscando suas vidas nas estradas, passando horas e dias sem dormir. Ser motorista não  é  apenas transportar a riqueza de um país, mas sim realizar sonhos. Parabéns guerreiros das estradas...”

 Com o relato destas histórias, fica claro que todos nós somos imbuídos de várias capacidades e uma delas é sonhar. Quem sonha desperta sempre para uma nova possibilidade, uma nova faceta de si mesmo. Sonhar é experimentar a vida através de desejos, de sensações. É a audácia de buscar que transforma toda a história de uma vida, como se pôde comprovar.

 O Portal do Ônibus parabeniza a todos os profissionais do volante e agradece por todo apoio que sempre dão ao nosso trabalho, seja acompanhando nossas atividades e/ou participando de nossos eventos. Obrigado, sobretudo, a estes motoristas que doaram um pouco do seu tempo e nos ajudaram a escrever estas histórias incríveis. Muitíssimo obrigado a todos. Um forte abraço de toda equipe do Portal do Ônibus a todos os condutores, independente do segmento, e feliz dia do motorista!